Sinopse

Cinco monólogos se desenvolvem em cenas curtas, um em cada uma das cinco regiões brasileiras, Norte, Sul, Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste. Nelas, os personagens têm suas vidas interligadas por algum laço afetivo, peculiaridades nos modos de falar, de ser, de pensar. Em comum, todas as cenas têm, como símbolo que ata cada uma das vidas aqui retratadas, a farinha. Ingrediente presente no prato do brasileiro do Oiapoque ao Chuí. Ingrediente capaz de unir todo um povo em um laço tecido em cultura, esperança e memórias.

Do Texto

O Texto de Paula Giannini constrói a história de forma delicada, envolvendo o espectador na peça através do sentido de empatia. Quem de nós, nunca provou um prato com farinha, quem nunca passou por dificuldades, por saudades, alguma forma de discriminação, uma perda, uma dor que só não é irreparável, pois nos mantemos em pé, em frente,

O texto é merecedor do prêmio Dramaturgias de pequenos formatos do CCSP – 2018 e entrará em cartaz na Sala Jardel Filho, no dia 12 de julho de 2019. O conto “Nona”, que deu origem ao espetáculo, foi finalista ao premiado Paulo Leminski de Contos.

O trabalho costura o caminho dos personagens através de monólogos que se tocam em alguns momentos, construindo assim, a história como um todo.

Da Direção

A direção, de Amauri Ernani, trabalha dando protagonismo à palavra, buscando a universalidade de suas falas, independente do local onde cada um dos personagens se encontra inserido. A essência do ser humano é única, fato alheio a sua condição cultural, social, étnica ou de gênero.

Somos todos brasileiros, em busca da sobrevivência e do reconhecimento de nosso direito a sermos quem somos e como somos, onde quer que estejamos.  

Da Iluminação   

Assinada pelo premiadíssimo Beto Bruel, a iluminação lança mão da cor de fundo imprimindo um tom cinematográfico à cena, em uma belíssima criação, com momentos surpreendentes.

A luz recria o ambiente de ação de cada uma das cenas (interiores de casas), assim como dá sentido ao conflito a que se lança cada um dos personagens aqui abordados.     

Da Música

O espetáculo é todo permeado por trilha sonora original, criada por Sérvulo Augusto (Teatron Produções), conduzindo a cena através de música autoral criada especialmente para o espetáculo, além de ruídos e sons ali expostos para criar na cena o desconforto, o lirismo, e o sonho, que invade a vida de cada um dos personagens, através de suas janelas, bem como dentro de suas memórias afetivas.  

Serviço

  • Gênero: Drama – Prosa-dramatúrgica  
  • Público alvo: Adultos – estudantes – educadores
  • Duração: 80 minutos
  • Classificação – 12 anos
  • Ingresso – gratuito